terça-feira, 27 de setembro de 2011

Ainda sigo sonhando.



Eu sei que se quero algo preciso seguir em frente e essa bagunça de sonhos todos precisa ser arrumada gradualmente enquanto ainda acredito... É por eu ser tão teimosa que ainda sigo nesse sonho, de pés cansados descalços nus. Não existe ainda a fórmula mágica de como se conseguir, mas um anseio leve breve de vontade de ir... Não quero perder a vontade, o equilíbrio das perguntas do aqui e agora posso! É possível que eu chore grite e até canse, mas desistir não quero pensar. Minhas expectativas são de açúcar entre noite e dia... Enfim, estou sonhando tanto com isso, com aquilo, com.

Vou deixar o espírito em paz, relaxado, com vontade de querer... Falando entre pássaros, baixinho, mas sussurros que voz, menos luz mais vida. Não é que eu vivo angustiada pela presença do futuro, o esperar é muito tempo pra mim. Talvez por isso eu escreva, talvez por isso precise pedalar entre os sonhos, talvez por isso esteja tão incomodada com o silêncio vindouro, mas talvez por isso eu consiga fechar e abrir os olhos sorrindo. O sensível é dramático! Sou puro drama! Minha ingenuidade está na malícia de observar a inocência de meus sonhos. Sei que vou conseguir, mesmo depois do tempo...

Se quiser juntar os detalhes sonhados conviva mais com eles. Adoce-se. E acredite no amanhã, no futuro, no momento que espera. É preciso seguir em frente antes de se esperar.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

A falta de cada dia.



Lua não me deixe. Passarinhos cantem. Mãe me chama sempre pra me levantar. Estou desorientada. Sem reversas... Sinto a falta permanente de coisas que me completam. Estou ficando silenciosamente triste com um sorriso só de dentes e não de alma. Preciso dos duendes, das fadas, dos gnomos, dos serem que acreditam que vou existir através dos sorrisos. Preciso da completude de amor com carinho de felicidade. Tenho urgência de bons sentimentos e falta deles... Preciso respirar o perfume dos bons ventos e esquecer as faltas das tempestades. Deixar de lado as besteiras que fazem mal viver. Sinto que preciso de mais detalhes. O normal é chato, não se vive, finge que vive.

.

Ah! Complete-me enquanto eu sonho fantasias de sorrisos. Não deixe pra ser amanhã normal.

domingo, 25 de setembro de 2011

Foi um dia de luta...



As pessoas precisam se inquietar mais com os problemas que arrolam em suas vidas. A individualidade nunca conquistou nada, mas a coletividade sim! Fico chocada com o descaso que a sociedade vive em seus respectivos setores sociais... O que fazer? Como fazer? Pra que fazer? São perguntas que perturbam o juízo de qualquer ser que pensa além do mero acordar e dormir!

Sou inquieta teimosa audaciosa, mas estou tentando agir e pensar... Movimentar ainda é um sacrifício para a juventude sedentária de formação política! E acordar não é de um dia para o outro, mas um processo de formação. Não critico a falta, só penso que podemos mudar, a transformação social depende do querer e é isso que nos falta, mas é o que nos resta para continuar vivendo...

Enquanto eu respirar vou lutar acreditando que posso. Posso não mudar o mundo, mas posso sacudir ele. Afinal, somos todos de uma única família com desinências diferentes.

.

A luta não é apenas sua. A luta é nossa, acredite!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Meus acasos.



Leio jornal. Leio revista. Leio romance. Leio artigo. Leio quadrinhos. Leio animê. Leio pauta de reunião. Leio a aula expositiva. Leio e-mail. Leio poste de blog. Leio o homem que passa. Leio o mundo e não entendo. O que me falta? Tempo para refletir e digerir o que vale ou não. Mas leio. E estou lendo. E continuo a ler.

.

Uma desorganização fecunda.

domingo, 18 de setembro de 2011

Domingo...



As pessoas perguntam demais. E nem sempre tenho respostas. Perguntaram como anda meu lado romântico do coração, aquele que trata do amor entre o ser apaixonado. Eu sorri como de sempre! Meu rosto ficou feliz e triste, suspirei fundo e acreditei que ele está sempre com saudade, com amor e certezas de dúvidas... É difícil fechar o pensamento do coração, ele é bobo demais, mesmo que exprima razão ou finja exprimir. É complicado... Ah! Amar é descomplicar e viver todos os sentimentos. E sempre acordo com uma vontade louca de gritar o amor! O que ganho com tudo isso? Muitos mimos talvez. E o que eu perco? Saudades de amor...

.

É sou intensa. Estou vivendo depressa demais.

sábado, 17 de setembro de 2011

Acho que parei no meu tempo de lembranças felizes...


Escrever tá sendo bem estranho parece que estou gritando minhas dores ao vento, expondo as mazelas minhas e nossas. Respeitem meu silêncio escrito e meu luto de sentimentos juntos. Meus ciclos de vivências estão sentindo falta dos detalhes pequenos que tanto demoravam e me faziam felizes, agora tudo é rápido, passageiro demais, se eu não agarrar escapa do meu bel-prazer. Estou tentando acreditar e confiar no meu poder de superação da fase não tão boa de alegrias. Sei que tudo passa e sempre espero o bom de cada tempo, mesmo que nem sempre ele venha... Conto com os bons ventos, as boas pessoas, os bons lugares, os bons hábitos pra dormir e acordar sempre com um sorriso de bom humor. Parece loucura, mas é estranho divertido. As coisas feias desse mundo estão na cor não pintada pelas pessoas que habitam nele, e passam por ele normal demais, saco! Sei também que não é possível ser feliz sempre e sempre, assim a vida seria sem vida. Procuro encontrar amor em tudo que vejo. Sentir coisas que comunicam a vida e nos faz bem viver e continuar vivendo. Admiro os detalhes, eles esclarecem as leituras do mundo... Estou me aquecendo dos bons pensamentos para sobreviver nas tempestades. E olhando mais pra mim e esquecendo mais o outro dos outros, eles são assim e eu sou espirituosa, aventureira, possessiva de amor e alegrias dadas e recebidas.

.

A vida é grande demais para deixarmos ser pequena!

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

A sexta-feira de espera de saudade.



De todos os dias da semana o mais aguardado é a sexta-feira, não pelo trabalho terminado da semana, não pela aula que acaba, não pelo final de semana que chega para diversão, mas pelo calor do abraço, do sorriso de príncipe, do cheiro só seu aguardado demorado sentido.

A melancolia já me toma quando sei que não vem, quando sei que não poderei grudar em seu colo e perceber que estarei protegida e todos os medos que me angustia por não está ao meu lado me consolando cuidado tratando.

Eu sei que você tem mil situações para resolver e faz parte do processo de vida. Tudo isso eu entendo ou finjo entender para continuar te esperando amando cuspindo a dor da ausência. É por essa chegada que sempre espero, e sei que essa chegada um dia acaba... os dias dormidos juntos chegarão, o beijo roubado das noites em madrugada nos adormecerá, e as expectativas e planos serão ditos durante o café da amanhã ao adoçar nossos dias vividos!

Só quero que não demores muito, os dias estão frios feios sem vontade de se enfeitar... mas deixo sempre a porta entreaberta para sua chegada com uma música de amor para nos olhar abraçar beijar. Mas se te interessa saber, quando chegar ainda em silêncio me abrace perdidamente com aquele coração pulsante dos primeiros dias de namoro que muito me encantava e me deixava abobalhada! Isto seria mais uma das provas de amor que me presta desde a olhada aos mimos de carinho. O que me envolve? Seus lábios, sua sensibilidade, sua inteligência ímpar, suas qualidades de homem à moda antiga, tão lindo, tão meu como diz.

Fisgou-me com esse seu jeitão de observar e amar intensamente com uma ingenuidade linda, sincera de carência de colo. Aprendi a amá-lo com afeto e nasci num novo papel de mulher que pode viver amando um homem sendo feliz! Hoje preciso de você aqui, perto de mim dos meus anseios desejos abraço beijos... tive vontade de cheirar seu pescoço, chega mais chega logo. E não precisa trazer presentes porque o melhor e mais caro-barato é o amor que me trás ao deixar afogar minha saudade em seus braços.

Prefiro que me agarre logo amanhã, depois e todos os nossos dias juntos amando. A saudade é boa, mas primeiro mate-a, de preferência com seu amor...

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

As pessoas sorriem depois do beijo?



“O beijo é um delicioso truque que a natureza criou para interromper a fala quando as palavras tornam-se supérfluas...”.

Rafael.

.

“Um beijo é um segredo que se diz na boca e não no ouvido”.

Jean Rostand.

.

“A única linguagem verdadeira no mundo é o beijo”.

Alfred de Musset

.

“O beijo é uma forma de diálogo”.

George Sand.

.

“O primeiro beijo, seja isso bem claro, não o dão os lábios, mas os olhos”.

O. K. Bernardi.

.

.

.

O momento mágico de mais pura suspensão... para-se o respirar, o fluxo das ideias, a gravidade não existe, o tempo determina-se pelo ir e voltar dos lábios um no outro. Essa união entre dois corpos envolve o que de mais humano temos e fragiliza: sentimentos... E a ponte que nos rege entre a razão e a emoção deseja ser a passagem para o transpasse que é o jardim dos mistérios do amor, segredos nossos...

Ah! O suspiro dado entre o primeiro olhar e aquele beijo esperado são dois momentos em um só sentido e apreciado em um só segundo de eternidade por quem ama. O estalo de amor realizado em sabor, dialogado entre beijo beijinhos beijões!

Se não tem o que falar, beije! Se não tem em que pensar quando se entreolham, beije! Se perder a noção da hora, beije! Se quiseres se perder, beije! Mas beije porque algo lhe toca, sente, mexe com seus íntimos, com seus olhos, lábios, molhados ou não, dependendo do segredo beijado.

Poema.



A próxima vez que a gente se encontrar

Eu vou te dar um beijo, sem pensar, calado

A próxima vez que a gente se beijar

Eu vou querer o mundo com você do lado

(...)

A próxima vez que a gente se encontrar

Eu vou te abraçar

Vou chorar, vou morrer

Só pra te fazer sorrir


Gugu Peixoto e Gustavo Vaz

Sorriso.


"Mesmo depois de conhecer vários e novos sorrisos, o dele ainda é o meu preferido".

Tati Bernardi.
.
.
.

Posso tentar querer esquecer tudo que me provoca em você, seu rosto quadrado fino bem lorde galanteador, seus cabelos curtos de homem muito homem lindo cheirosos, e até seus carinhos leves doces gentis, mas o seu sorriso largo sincero profundo permanecerá na minha memória de ideias e é difícil deixa-lo sair, porque és meu preferido e sempre será, porque você e seu sorriso são eternas boas recordações!

Em mero retrato.



Ainda não sei me descrever e muito menos justificar porque estou escrevendo aqui nesse mundo de todos que é a internet. Talvez pela insistência de minhas fraquezas leves, outras insanas. Estou numa fase intensa de amores com uma ansiedade de afeto e desejos... Emoções loucas de sorriso e abraços feito em laço, disfarce. Digo que cá estou sem nenhuma pretensão de ser escritora ou menina que quer ser, apenas dando asas as emoções...

Acho que esse meu jeito brincalhão, divertido, talvez palhaça de ser defina o meu estado de bom humor quase sempre presente, algo curioso pra quem é apaixonada por cultura oriental, de riso contido. Entretanto o lugar de minhas fantasias alimenta-se do lado ocidental, talvez por isso a alegria não seja dosada, mas posta de dentro pra fora. Eu queria mesmo era poder rir sempre, e ver sempre o riso... quero ser sempre a pessoa das lembranças boas, mesmo sabendo que nem sempre é possível, e isso me fere quando não consigo.

... fico me buscando, seja na compreensão dos que me doo, seja na minha busca de todos os dias. Já engoli a loucura alheia, já me fiz de surda, muda, cega... mas tento não ser seleta com as pessoas, tento ser disponível em instantes presentes da vontade alheia. Afinal, quando mais me gasto, mas estico meu limite e preencho esses meus devaneios que parecem não saber se contentarem sozinhos.

Sofro por não saber dizer não. É uma terapia dizer sim!!! Preciso do sorriso, do abraço, do contado, do amor... necessito desses conselhos de riso largo, profundo com cutucadas de afeto sinceras do nada, do tudo.

Quantos abraços? Quantos sorrisos? Sou do tamanho deles, vivo mais nesses pequenos detalhes de carícias e desejos não abafados. Eu tento ser menos louca e não agarrar qualquer um, mas sou composta de medos sociais e não te ter no amanhã me angustia. E não sei quando vou precisar chorar de saudade eterna. Pretendo sorrir e abraçar infinitamente... Quem, ainda não se sabe!

Sou tão chata e tão legal, oh meu Deus amado! E nesse instante de não construção do que sou, talvez deixei escapar o que sou sem saber o que sou, por que afinal quem somos? Sou apenas mais uma amante da escrita da leitura da ‘frescura letrada’ ignorada. Sou ansiosa teimosa concubina das invejas brancas de quem tem tempo para querer ser alguém...

Estou em toda parte basta sorrir, se virar ABRACE!