sábado, 15 de outubro de 2011

Bilhete



Meu amor,

Sozinha em casa, agora à noite, no verão brasileiro, sinto seu perfume ao vento e me dá uma nostalgia de nossos encontros. E sempre é muito bom lembrar-se de nossos meses juntos. Uma sensação de prazer... Não esqueço. É impossível esquecer. Tentar esquecer. Talvez eu tenha deixado de lado nossos telefones mais longos para poder entender mais o seu lado em contados pequenos, de detalhes. Ando chamando sua atenção nas redes sociais pra nos tomarmos mais sociais nesse mundo de todos que nos aproxima. Você sempre atencioso e lindo comigo. Às vezes essa distância é chata! Repito: - saco! Mas sei que seu ônibus tem destino certo, com um abraço largo esperado. Preciso dele, sabia? Quero e espero tanto por ele que já marquei nosso novo encontro no calendário, à dor vai diminuindo. O bom é nossa juventude da pressa de não querermos esperar mais a velhice do feliz pra sempre. Onde acabará tudo isso? Vejo o altar, lua-de-mel. Um amor quente. E os sonhos sonhados? Estes são nossos. Aquele breve carinho, Deus te abençoe.

Te beijo, meu lindo.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Uma estrela um pedido você.



Agora é o momento exato de ter você desse lado do colo carente, amor. É outubro, mês do nosso aniversário, só nem sei se você lembra, mas eu sei do que eu lembro a cada data passada sozinha. Olho ao acaso o céu de luar cheio, eu vejo você, é você, quem mais poderia ser se não você. Se todos os dias eu acordo com esse meu único pensamento ficar com você seja lá onde for com quem estiver, sendo você, os dias serão menos dolorosos, coloridos, com cheiro de vida. Mas já não sei de nada. Não basta eu apenas querer e pedir você nas estrelas. E tudo porque olhei o nosso calendário, do nosso mês, e todas as recordações que vivemos e ainda esperamos viver.

Espero poder resolver logo tudo isso. Os pedidos já são muitos e minha dívida com esse e o outro mundo de amor está enorme sem espaço para um outro... O momento está chato sem prazer de você. Tudo muito acinzentado, com pouca magia, sem pedaços de céu e o clima cheio luau. Sempre olho as estrelas e procura a cadente delas e peço você. Volte logo ao leito, deixe misturar esse sono nosso velado veloz.

Vou te contar meu segredo: - quando você nos deixa assim sem querer sem saber se volta, fico aqui com meus pensamentos ditos de seus lábios lisos soltos para um beijo, e cheiro seu cheiro e sinto seus sentidos, e amo cada detalhe deixado nas paredes de nossos sonhos.

Tenho ficado sozinha, amor. Ando complicando o simples, mas te amando. Sigo. Claro que esperar você entre as estrelas é lindo sublime, mas não demore, não deixe que o luar de encanto termine e eu continue nesse vazio. Meu coração é cheio de você e só você pode esvaziar ele. Agora, prefiro olhar o luar estrelado. Entre os lenções. Apaguei a luz. Durma bem. A gente combina... amor.

E se você ainda não se lembrar daqueles nossos dias do calendário eu perco a última estrela cadente!

domingo, 9 de outubro de 2011

O calor de nós dois



Acordar com o calor do seu lado, eterno sol de bel-prazer! Intenso eterno cúmplice. Existe algo inexplicavelmente recíproco corpo calor olhares em silêncio. Governa nossos instintos falaciosos de movimento ao encontro do tempo com o todo. Das conversas que temos dedicado poesia amor, entregamo-nos inteiros palavras ou amor? E o calor molhado de afagos moldados entre o corpo vivo escrito... Você me conduz ao acaso em fontes ligeiras de desejo. Nada é passar o tempo. Acredito que o espaço é vago, mas cresce e flui calor entre os eus desejos. Todo pensar dessa ternura gera calor amor inesgotável. Preciso experimentar mais o que tudo isso diz de mim e você. E sei que nossos calores são perenes de histórias inexatas... Vezes o outono aparece. Por quê? E mesmo que não saibamos, mesmo que não queremos saber, se queremos, sei que vou seguir com calor amor nos próximos verões nossos...

.

Se não sei explicar o calor, mas sei senti-lo... você!

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

O silêncio dos meus dias... Harmonia!?



Tenho ficado tão quieta, tão chateada em silêncio. Meu bom dia é sincero, mas meu café da manhã é sem gosto. E pouco tenho gargalhado com vontade de sorrir feliz, mas para não deixar alguém no vácuo. Ando rindo dos meus sonhos loucos engraçados. Minha máscara fantasiada com efeitos de dor e solidão de saudade. A musicalidade é feita de momentos caminhados no acaso. Tenho me acostumando com os fragmentos que não me bastam por detalhes. Meu lado maduro está rasgado pela espera... Em segredo: por que a falsidade é oculta percebida em encontros de horários não pensados? E por que sou tão frágil e boba e não atenta aos detalhes ocultos?

Perceber não é o forte das pessoas que veem o mundo em cores de amor e amizade. E a humanidade me proporciona a vivência de acreditar sem culpa... Pena! De mim dos outros de nós! Achava bonito passar uma borracha no desenho da vida feia, vejo que o papel ficou rabisco com esbouço. Sofrer é crescimento, pena que presenteia...

Gosto de mais do abraço e do sorriso pra me perder na beleza de palavras discursadas com tanto respeito por quem não! Gosto da atenção olhada sem desprezo, mas com afeto em tempo de se resolver. Porque me perturbo em acasos de sentir ver e seguir entregando um sim para receber um não sem contato. Só peço: não finja, não fale por trás, diga o que pensa, seja você, não se engane não me engane... Nos aceitemos, agradeço!

.

Tenho engolido tanto sapo de fora pra dentro que meus dias tem sido de silêncios para viver em harmonia!