domingo, 9 de outubro de 2011

O calor de nós dois



Acordar com o calor do seu lado, eterno sol de bel-prazer! Intenso eterno cúmplice. Existe algo inexplicavelmente recíproco corpo calor olhares em silêncio. Governa nossos instintos falaciosos de movimento ao encontro do tempo com o todo. Das conversas que temos dedicado poesia amor, entregamo-nos inteiros palavras ou amor? E o calor molhado de afagos moldados entre o corpo vivo escrito... Você me conduz ao acaso em fontes ligeiras de desejo. Nada é passar o tempo. Acredito que o espaço é vago, mas cresce e flui calor entre os eus desejos. Todo pensar dessa ternura gera calor amor inesgotável. Preciso experimentar mais o que tudo isso diz de mim e você. E sei que nossos calores são perenes de histórias inexatas... Vezes o outono aparece. Por quê? E mesmo que não saibamos, mesmo que não queremos saber, se queremos, sei que vou seguir com calor amor nos próximos verões nossos...

.

Se não sei explicar o calor, mas sei senti-lo... você!

2 comentários:

Marlos disse...

Simplesmente apaixonante !!!

Keila Rodrigues disse...

Muito bom sentir a poesia de algo familiar: amor, paixão, calor. Parabéns pelo texto. Abraço e continue ecantando e enchendo esse espaço de poesia e paixão.

Postar um comentário