sexta-feira, 7 de outubro de 2011

O silêncio dos meus dias... Harmonia!?



Tenho ficado tão quieta, tão chateada em silêncio. Meu bom dia é sincero, mas meu café da manhã é sem gosto. E pouco tenho gargalhado com vontade de sorrir feliz, mas para não deixar alguém no vácuo. Ando rindo dos meus sonhos loucos engraçados. Minha máscara fantasiada com efeitos de dor e solidão de saudade. A musicalidade é feita de momentos caminhados no acaso. Tenho me acostumando com os fragmentos que não me bastam por detalhes. Meu lado maduro está rasgado pela espera... Em segredo: por que a falsidade é oculta percebida em encontros de horários não pensados? E por que sou tão frágil e boba e não atenta aos detalhes ocultos?

Perceber não é o forte das pessoas que veem o mundo em cores de amor e amizade. E a humanidade me proporciona a vivência de acreditar sem culpa... Pena! De mim dos outros de nós! Achava bonito passar uma borracha no desenho da vida feia, vejo que o papel ficou rabisco com esbouço. Sofrer é crescimento, pena que presenteia...

Gosto de mais do abraço e do sorriso pra me perder na beleza de palavras discursadas com tanto respeito por quem não! Gosto da atenção olhada sem desprezo, mas com afeto em tempo de se resolver. Porque me perturbo em acasos de sentir ver e seguir entregando um sim para receber um não sem contato. Só peço: não finja, não fale por trás, diga o que pensa, seja você, não se engane não me engane... Nos aceitemos, agradeço!

.

Tenho engolido tanto sapo de fora pra dentro que meus dias tem sido de silêncios para viver em harmonia!

1 comentários:

Marlos disse...

Uma nobre escritora (:

Postar um comentário