segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Minhas tardes, sozinha.



17: 11 da tarda as árvores ventando minha solidão, eu toda estranha, mas com uma saudade imensa de ter você, entre meus braços, entre meus sorrisos, entre minhas interrogativas, entre minha vida ou já não nossa... Através da janela do quarto vejo os galhos de uma árvore grande como a saudade de você, entre as cores do céu e as cores em que guardo você. Fico aqui vestida sozinha em espera. Todo o quente do quarto com o cair da tarde vai esfriando, na cidade sozinha... Mas pensar em você, em nossos bons momentos vibra calor, tão nosso desejado, entre gargalhadas de histórias loucas de saudade mal contada. Queria ao menos poder ti sentir, agora. Não consigo mais viver assim de SAUDADE! Respondo que está tudo bem, pergunto pra quem? Meu amor hoje se encontra cheio de distâncias de carinho, preciso do encaixe dos braços meus em você. Nossos compromissos são muitos, e afinal qual o maior deles, se não eu você o amor de nós?! Sempre penso mil coisas longe de seu carinho, nada lembrado perto do toque tocado entre uma noite sorrisos e colinho. Guardo, ainda, suas flores dos primeiros dias de romance, não apenas na memória, mas numa caixinha onde deposito todas as nossas lembranças... A noite chega em silêncio sem prazer de adormecer, falta o amor, o meu amor, a minha vida completude. Fico com aquela sensação de imensa falta de alguma coisa que nada me satisfaz. Lembro-me da nossa história, mas minha alma pede calor... (acredito que o nosso amor precisa ser agarrado). Vejo do quarto os melhores momentos, uns esperados outros já deixados para o dia seguinte de encontro. A espera da distância é tão longa, despedir-se de seu sorriso de calor quente me deixa com falta de você. E na cadeira sentada parada sem ação pra pensar se não em você, choro despedida de saudade, com um desejo profundo de ao menos poder vê você e abraçar. Como eu queria trocar todas as nossas distâncias por um intervalo de tempo sem vento por nosso momento.

.

Você me deixou um vazio imenso que só pode ser preenchido com a sua chegada.

1 comentários:

Marlos disse...

Voltarei sim, sempre!
Pois és a razão do meu viver! <3
Bjim

Postar um comentário