sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Os dias de colcha fria...


Queria poder te abraçar agora nessa casa de frio que explode em meu coração e pede um afago disfarçado de carinho de amor de quem dela habita entre o amar. Queria poder dizer o que sinto pessoalmente sobre nosso amor pintado nos lugares de afeição. Queria poder ver seus olhos de sorriso molhados de alegria sobre a tatuagem fotografada de cliques guardados. Queria e deveria esquentar o leito do meu coração gelado de saudade de você, adormecido em poesia, mesmo que melancólica... Queria poder gritar ao vento o apego de um casal amante de amor! Queria poder dizer pra ele que mesmo no frio a menina desenha sorrisos de vontade... Queria poder escrever uma cartinha dizendo que sou seu pombo correio e preciso de um afago... Fácil fácil. Queria poder te mostrar nas entrelinhas o tamanho da minha saudade que venta pelo frio da noite que cai solitária sem você. Queria poder dizendo que preciso do calor de seus lábios molhados conselheiros de prazer. Queria poder descrever as pausas de um beijo roubado, nosso. Queria poder ter toda folha do mundo pra chegar até você com minha escrita de vida dizendo EU TE AMO! Ah! Queria que o sonho da escrita fosse o real e não apenas meus devaneios surreais. Vem, volta pro meu gelo escrito e acalenta essa distância de corações...

.

Deixa tudo pulsante de calor entre eu você e nossa colcha de dias...