segunda-feira, 30 de abril de 2012

Meus amigos palhaços


Que alegria imensa vivi em uma semana de quase uma vida, que imensidão de bons sentimentos na oficina de rua, ontem à noite, no espetáculo final sorri, chorei de felicidade... Amei até o ENTALA! Acho que já disse isso a vocês – se já, repito assim mesmo, se não, lá vai: tenho uma estranha empatia com o trabalho de vocês. Vejo como se eu mesma estive (naquele momento divino de “inspiração”) ou, pelo menos, com o desejo de querer participar da atração. (Quanto talento em tão pequenas pessoas...) Mas o riso fácil não é pra todos. Ainda continuo embalada pelo fazer artístico tão pregado no corpo, na voz, nos arquétipos... Ô, queridos, quero morar perto de vocês e aprender os trejeitos teatrais. Em circulação direta! Conheci vocês por um vídeo, lindo por sinal. Eu tô aqui escrevendo e já com uma saudade de abril do passado. Já pensei várias maneiras de acompanhar o trabalho dos amigos palhaços. Tarefa árdua! O lado gostoso, além de revê-los, é tornar-me criança de olhos brincantes prestigiando... Disseram-me ontem que vocês são gênios da novela ao vivo. Hoje (já comi algumas bolachas), digo que vocês é o riso em forma de prosa e poesia ao vivo. Fico aqui, na terrinha, a espera de um milagre de retorno dos artistas. Estou feliz. Acho vocês geniais, clichê? Desculpas. Medonhos? Ah! Palhaços! (risos). No mais só algumas quadras emocionais de distancia e saudade, mas vou sobreviver. Obrigada pelos ensinamentos de aprender brincando. Aguardo na memória fotográfica cada momento, e sinto muita saudade. Mandem notícias qualquer hora, ou de fantasia de repente! Com carinho, ou aos modos do teatro, muita merda pra vocês, pra nós!

Um sorriso de futura palhaça.


sexta-feira, 27 de abril de 2012

Adoro-te, você sabe!



Sabe que me apaixono pela sua poesia, vindo de sorrisos abraços e um tempo inteiro de gostaria... Ao cair da tarde imagino nossas fotos ainda não tiradas com aquela sua câmera gigante! Sabe que estou acompanhada e vivo com o pensamento ocupado. Quando estou com você é outro mundo, aquele dos beijos dados pela epiderme. E olhe não me entenda mal, só sei cumprimentar os amigos com meu sorriso e abraço, beijo roubado sem intenção não me atrai... Não te falei, mas tenho meu lado calado reservado tímido de viver, mesmo que não aparente! Gostaria de poder corresponder. Entrar em sintonia com você. Sabe que eu vou viver gostando de você. Meu Romeu, eu sua Julieta, apenas de um romance.

.

Não sabe a saudade que provoca em mim. Se soubesse não retiraria as reticências...