domingo, 17 de novembro de 2013

Faltas


Procuro nos outros a falta dos meus. Ando inquieta, chorosa, pensativa, falta de paz. Sofro pelas distâncias, tão normais. A saudade afogada na falta de abraços. É pedir muito por um? Como é difícil compreender e ser compreendida. Ás vezes penso que as pessoas são automáticas e amam e abraçam e brincam com os de sempre sem ser pra sempre. Hipóteses de dias... Ser sensível, ser romântica, ser. Temo ser um desgosto aos meus outros. Esperam de mim o que me falta. Desejam o que não suporto e entrego-me as faltas. Os vazios derramados em lágrimas já ferem meus sorrisos, meus abraços, meus carinhos ternos.
.

Ando desalmada de amor e carinho.